Poderá também gostar:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Olhar para uma cruz causa "dores físicas e emocionais" aos militantes ateus


Aparentenmentes os activistas ateus tem algum tipo de prazer em gerar batalhas infindáveis. Durante o Natal, eles focam-se nas peças de Natividade; pelo final de todos os anos lectivos, os seus alvos são as orações levadas a cabo no princípio das actividades escolares.

 Embora estas batalhas se tenham tornado familiares, há uma que se distingue de todas as outras: os militantes ateus exigem que uma cruz encontrada nos destroços do 11 de Setembro não seja incluída no  museu que está a ser planeado como forma de comemorar as vidas perdidas nesse acto terrorista levado a cabo por muçulmanos.

A American Atheists (AA), um grupo que se esforça para avançar a sua causa secular, tem liderado o ataque contra a cruz "Ground Zero" desde Julho de 20'11 - a primeira vez que a organização deu início aos processos legais.

 Jessup escreve:
O processo  legal dos  ateus  alega  que  ao  incluir   a   cruz   no   seu   museu,  numa propriedade pública, o governo está inconstitucionalmente a dar apoio a uma religião. O processo  alega  também  que  a  mera  presença  da  cruz  pode  causar problemas emocionais -  e  até  físicos  -  entre  os  ateus  que se sintam ansiosos e até excluídos. 
Que grupo tão ridículo de meninas impressionáveis!

Curiosamente, mesmo que estas protecções se apliquem, o museu alega que "não há qualquer justificação legal para que o museu proíba a exibição dum item com significado histórico, artístico ou cultural, apenas e só porque o mesmo item possui um significado religioso".

A cruz do "World Trade Center" não foi um símbolo construído por pessoas usando os restos encontrados no Ground Zero depois do 11 de Setembro de 2001, mas sim algo que foi encontrado junto dos destroços, possuindo já a forma duma cruz Cristã. Isto num país com raízes Cristãs como os EUA tem um poder extraordinário, e os militantes ateus sabem disso.

 Mas para quê a raiva se para um genuíno ateu, a cruz não tem significado algum? Para um ateu, uma porção de destroços com a forma duma cruz tem o mesmo significado que outra porção de destroços com a forma dum círculo ou de outra forma qualquer. O ateu não se importa com símbolos Cristãos porque para ele esses símbolos não significam nada.

Semelhantemente, para um ateu, um Cristão que esteja em oração, está a falar sozinho. Para que, então, usar o poder do governo para proibir as pessoas de falarem sozinhas?

O perito legal da CNN Jeffrey Toobin qualifica o caso dos ateus de "ridículo" e diz que as propabilidades da cruz ser removidas "são literalmente nulas". Mesmo assim, o grupo de Silverman [AA] continua com a sua jihad anti-Cristã como forma de remover o mínimo indício da fé Cristã do museu.

Fonte


 

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os 10 mandamentos do comentador responsável:
1. Não serás excessivamente longo.
2. Não dirás falso testemunho.
3. Não comentarás sem deixar o teu nome.
4. Não blasfemarás porque certamente o editor do blogue não terá por inocente quem blasfemar contra o seu Deus.
5. Não te desviarás do assunto e nem responderás só com links.
6. Escreverás "Deus" e não "deus", "Bíblia" e não "bíblia", "Jesus" e não "jesus".
7. Não usarás de linguagem profana e grosseira.
8. Não serás demasiado curioso.
9. Não alegarás o que não podes evidenciar.
10. Não escreverás só em maiúsculas.