Poderá também gostar:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Sexo casual prejudica as mulheres

Era suposto que as revoluções sexuais e feministas permitissem que as mulheres desfrutassem de sexo casual da mesma maneira que os homens sempre desfrutaram. No entanto, segundo a professora Anne Campbell da "Durham University" no Reino Unido, os sentimentos negativos reportados pelas mulheres após encontros sexuais de curta duração sugerem que elas não estão bem adaptadas. ( . . . )

De modo geral, os sentimentos femininos eram mais negativos que os masculinos: oitenta e cinco por cento dos homens tinha sentimentos positivos em relação a essas experiências fugazes, comparadas com 54 porcento das mulheres. 

Semelhantemente, os homens eram mais susceptíveis do que as mulheres de querer que os amigos soubessem dos seus encontros sexuais, e mais susceptíveis de se sentirem bem sucedidos quando a parceira era desejável aos olhos dos outros. Os homens reportaram também uma maior satisfação sexual após o evento, para além dum maior sentido de bem estar e confiança em si próprios.

O sentimento negativo predominante reportado pelas mulheres era o arrependimento por se sentirem que haviam sido "usadas" [ed: e foram usadas].  As mulheres eram mais susceptíveis de sentir que haviam baixado a guarda, e mais preocupadas com o potencial estrago que isso faria à sua reputação se as outras pesoas viessem a saber.

As mulheres qualificaram a experiência de menos sexualmente satisfatória e, contrariamente ao que se pensa, elas não viam o sexo casual como um prelúdio para um relacionamento de longa duração. [ed: ou seja, envolveram sexualmente com homens sem terem qualquer esperança num futuro relacionamento].

A Professora Campbell  explicou:

O que as mulheres pareciam ser contra não era o facto da relação sexual ser de curta duração, mas sim o facto dos homens não as apreciarem. As mulheres eram de opinião que esta falta de gratidão implicava que ela fazia isto [sexo casual] com qualquer pesssoa.

Segundo a Professora Campbell, embora as mulheres não classifiquem de modo positivo o sexo casual, o motivo que faz com que elas tomem parte no mesmo pode-se prender com as mudanças cíclicas menstruais que influenciam as suas motivações sexuais. Durante o fase ovulatória do seu ciclo (entre o dia 10 e o dia 18 do seu cíclo) as mulheres reportaram um aumento no desejo sexual e na excitação, com preferência para parceiros de curta duração.


* * * * * * *

O que interessa reter desta notícia é que quando grupos sociais e partidos políticos motivam as mulheres, e especialmente, as raparigas jovens, a enveredar pela auto-destrutiva via do sexo casual, esses grupos estão a criar uma legião enorme de mulheres com a auto-estima inferior àquela que teriam se vivessem uma vida sexualmente responsável, de acordo com a vontade de Deus: castidade enquanto solteirias, fidelidade enquanto casadas.

Segundo a Dra Campbell, as mulheres ficam surpresas por descobrir que os homens com quem têm sexo casual não as valorizam por aí além. Aparentemente, os homens têm alguma obrigação moral de valorizar de igual modo as mulheres que tem sexo casual, e as mulheres que não têm sexo casual.

Por fim, esta tentativa de justificar a escolha feminina por sexo casual como consequência do seu cíclo menstrual não é benéfica para ninguém. Dizer que algumas mulheres escolhem ter sexo casual devido ao seu cíclo é minimizar a capacidade humana de escolher qual o comportamento a seguir. Certamente que o aumento do seu desejo sexual durante certas fases do mês pode ter alguma influência na sua escolha, mas a mulher, como ser dotado de livre arbítrio, pode sempre escolher não agir segundo os seus impulsos sexuais (tal como os homens).

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os 10 mandamentos do comentador responsável:
1. Não serás excessivamente longo.
2. Não dirás falso testemunho.
3. Não comentarás sem deixar o teu nome.
4. Não blasfemarás porque certamente o editor do blogue não terá por inocente quem blasfemar contra o seu Deus.
5. Não te desviarás do assunto e nem responderás só com links.
6. Escreverás "Deus" e não "deus", "Bíblia" e não "bíblia", "Jesus" e não "jesus".
7. Não usarás de linguagem profana e grosseira.
8. Não serás demasiado curioso.
9. Não alegarás o que não podes evidenciar.
10. Não escreverás só em maiúsculas.